23.8.05

Teses em inglês

Para inaugurar o blog proponho um tema polêmico: a permissão para que teses de doutorado brasileiras possam ser escritas em língua inglesa. Ok, é burocrático, mas dá pano pra manga.

7 Comments:

At 31/8/05 15:59, Anonymous Cassius said...

Cara, eu sempre achei q nao tivesse problema na escolha da lingua. Pelo menos a defesa, eu tenho certeza de ja ter assistido algumas, tanto aqui qto na USP, em ingles, pois um dos membros da banca era estrangeiro. Tem certeza de que existe uma norma dizendo que a tese deve ser escrita em portugues?

 
At 1/9/05 10:28, Blogger Andre said...

Pois é, a verdade é que não sei onde está a tal lei que proibe teses em inglês. Aparentemente existe alguma norma.

No caso das defesas a coisa é mais flexível mesmo. Mas já vi um caso em que, apesar de haver um estrangeiro na banca, o estudante precisou falar em português. Apenas as respostas às perguntas podiam ser em inglês. Absurdos...

Em todo caso, acho que deveria ser liberada a escrita diretamente em inglês: você pode depois publicar a tese na internet, nos arxiv's, por exemplo. Uma tese em inglês tem muito mais alcance, é dinheiro usado de maneira mais inteligente.

Existem uns argumentos nacionalistas meio estranhos, de que essa permissão limitaria o acesso ao saber para brasileiros que não entendem inglês. Bom, pelo menos na Física, quem consegue entender uma tese de doutorado é, em 99% dos casos, uma pessoa que lê bastante em inglês.

E, para deixar bem claro, isto seria optativo, nunca obrigatório. Quem quisesse poderia continuar escrevendo em português.

André

 
At 1/9/05 15:09, Anonymous Alysson said...

Eu imagino que, em outras épocas, quando o acesso à informação era um pouco mais difícil, talvez fosse interessante ter as teses em sua própria língua. Afinal, muitas teses trazem um resumo atual de uma área de pesquisa, que pode ser útil até para um estudante começando a aprender a fazer pesquisa... Então toda tese escrita em português é, também, um pequeno resumo de área que fica disponível para o futuro...

Agora, nos tempos de internet e arxiv's da vida, é muito mais fácil acessar à informação. E justamente a internet está tornando ainda mais impossível ser um físico que interage com o universo da pesquisa sem dominar o inglês. Nessas condições, acho que só mesmo argumentos nacionalistas para defender a regra....

Quanto a esses... buenas, acho que nossa bela língua não perde nada se for reservada para as boas obras de prosa e verso... deixemos as tecnicalidades da física e informática para o idioma que está se impondo como o "Esperanto" do mundo globalizado... :-)

 
At 1/9/05 17:45, Blogger Cássius said...

Eu concordo com os argumento nacionalista em um ponto: sem dúvidas mais teses em português é uma forma de valorizar a língua. Mas não acho que ter teses em outras linguas seja necesariamente demérito, pelos argumentos que vocês já levantaram.
Na minha opinião deveria ficar como optativo.

 
At 23/9/05 17:22, Anonymous Anônimo said...

Acho que o inglês está se impondo (como disse um colega) por atitudes como essa de aceitar uma língua estrangeira como sua. Se existe um membro da banca estrangeiro, é justo que possamos honrar o convite que fizemos nos comunicando com ele em inglês, mas publicar nossas teses nessa língua é abrir mão de nosso patrimônio. Se o trabalho é interessante (isso pode ser verificado no abstract), que os "gringos" aprendam o básico do português para entendê-lo. Obrigado, Iracema.

 
At 9/11/09 00:36, Anonymous Anônimo said...

Poor Iracema... so out of touch with the times...

 
At 21/11/09 06:52, Anonymous Anônimo said...

Aprendi muito

 

Postar um comentário

<< Home