29.7.06

Primo Pobre X Primo Rico

Estava discutindo com um amigo nos últimos dias a respeito do valor das bolsas e comparando com o valor pago por outras agências. Realmente a disparidade é muito grande, considerando pessoas que moram em metrópoles como São Paulo onde qualquer "diferençazinha" faz uma "diferençazona". Se olharmos um bolsista da CAPES e da FAPESP o segundo vive com quase o dobro do valor. Segundo ele, recentemente a FAPESP, que paga uma excelente bolsa para se viver em qualquer estado deste país, aumentou o valor das bolsas já concedidas aos seus estudantes. Foi aí que a questão caminhou até o ponto em que ficamos em desacordo num apecto: será melhor primar por beneficiar o estudante que já tem bolsa, por exemplo da FAPESP, com um aumento no valor já pago ou seria melhor abrir mais bolsas para os menos privilegiados?
Visando acabar com a dúvida eu decidi fazer uma pesquisa de opinião para saber o que os estudantes e a comunidade pensam a respeito:

Você concorda que agências como a FAPESP aumentem o valor das bolsas pagas ou aumentem o número de bolsas com este dinheiro?

Aumentar o valor das bolsas

Aumentar o número de bolsas

Não tenho opinião formada






4 Comments:

At 29/7/06 18:00, Anonymous C. Mafra said...

Acho que a questão está sendo mal abordada. O que se deve discutir é se
o valor da bolsa é suficiente e justo.
As bolsas da FAPESP estavam sem reajuste
desde o final de 1996! Nesse período a inflação foi maior do que 100%. Eu considero um equívoco colocar como opções: aumentar a bolsa ou aumentar o número de bolsas. Se pensarmos assim e ficarmos com "pena" de quem não tem bolsa, cometeríamos o erro de transformar uma bolsa suficiente em duas insuficientes. De que adiantaria ter vários alunos com bolsa se os valores pagos não fossem suficientes?
Além disso, depois de vários anos ganhando uma bolsa já desvalorizada surgiria novamente a questão se a bolsa deveria ser aumentada ou "distribuída" para mais gente.

 
At 29/7/06 20:31, Anonymous Anônimo said...

Eu acho que você não está entendendo a questão corretamente, mesmo antes do aumento o valor da bolsa FAPESP me parecia ser mais que suficiente para qualquer estudante viver em São Paulo com "regalias" que estão muito longe que qualquer bolsista CNPQ ou CAPES poderia ter. Acho válida a questão.

 
At 29/7/06 23:14, Anonymous Anônimo said...

Primeiramente acho absolutamente inaceitável alunos de uma mesmo instituição, fazendo o mesmo tipo de trabalho e com as mesma obrigações inerente a uma pós-graduação, receberem incentivos ao estudo com valores diferentes. Isso sem falar que o valor de uma bolsa da FAPESP é praticamente 2 vezes o valor de uma bolsa da CAPES! A justiça social deve começar pela instituíções e órgãos de ensino público. E não é falsa demagogia querer qualificar com o valor de 1 bolsa 2 doutorandos ou pesquisadores. Se os alunos CAPES vivem com 1.200,00, embora sacrificadamente, é pq isso é possível. Basta levarmos uma questão desse tipo para a iniciativa privada, se um empresário com o mesmo valor pode investir em 2 funcionários, ele não vai qualificar apenas 1, né?

 
At 12/8/06 13:04, Anonymous ??? said...

"Primeiramente acho absolutamente inaceitável alunos de uma mesmo instituição, fazendo o mesmo tipo de trabalho e com as mesma obrigações inerente a uma pós-graduação, receberem incentivos ao estudo com valores diferentes."

Bom, então vc tem que mudar de opinião, pois as coisas são assim não só em São Paulo, mas em qualquer lugar civilizado do mundo!

"Se os alunos CAPES vivem com 1.200,00, embora sacrificadamente, é pq isso é possível."

Ou seja, vamos nivelar todos por baixo?? Impressionante, ao invés de lutarmos por melhores condições para todos os bolsistas, queremos que os salários dos outros baixem para que todos fiquemos iguais de ruim?? Que diabo de lógica é essa??

"Basta levarmos uma questão desse tipo para a iniciativa privada, se um empresário com o mesmo valor pode investir em 2 funcionários, ele não vai qualificar apenas 1, né"

Não entendo... por um lado vc fala em justiça social, mas acaba dando um exemplo "capitalista"? E se é assim, por que então as empresas não têm dois presidentes, cada um ganhando a metade??

Na minha opinião, devemos sim lutar para que as bolsas (todas elas!) tenham um valor bom. Bolsa de pesquisa não é "para ajudar os menos privilegiados", é para fazer ciência de qualidade!! Fazer boa ciência é a melhor contribuição que retornamos à sociedade pelo dinheiro que investem na gente.

 

Postar um comentário

<< Home