25.10.05

Espalhando partículas


Veja interessante esforço de
divulgação científica do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS). Eles se propuseram a colocar em toda sala de aula do ensino médio francês um pôster (imagem ao lado) descrevendo sucintamente os componentes elementares da matéria. Para auxiliar os professores é fornecido junto um livreto explicativo e um CD contendo a homepage do Particle Adventure. O pôster foi produzido originalmente em francês, mas já foi adaptado para outras línguas. Inclusive uma versão para qualquer outro idioma poderá ser confeccionada se o texto na língua local for fornecido ao grupo do CNRS. Muitos países já aderiram à iniciativa: Canada, EUA, Argélia, Marrocos, Inglaterra, Romênia, Polônia, Indonésia, Índia, etc.

Talvez eles já soubessem, mas enviei mensagem sobre o assunto à Comissão de Partículas e Campos da Sociedade Brasileira de Física. Provavelmente para este ano não dê mais para organizar, mas para os próximos anos, quem sabe.


Aliás, pensando bem, este pôster seria bem-vindo até em muitas universidades brasileiras. Faz tempo que não vejo em nenhuma o tradicional (e belíssimo) cartaz sobre as partículas elementares (imagem ao lado).

4 Comments:

At 26/10/05 11:47, Anonymous Mafra said...

Na biblioteca da UFSC tem aquele cartaz
tradicional com as partículas elementares. Não o vi em mais nenhum lugar.
Seria legal ter um desse no IFT também.

 
At 26/10/05 12:09, Blogger Evandro said...

Acho que podemos nos mobilizar pra comprar um desse poster e colocá-lo no ift. Bom acho vou ver se consigo descolar a grana pra comprar esse poster!

 
At 26/10/05 18:16, Blogger Clovis Maia said...

Ei gente, gostei da ideia mas precisamos tambem prestigiar o trabalho caseiro. Lembro-me de ter visto um poster parecido (direcionado ao ensino medio) feito por uma professora do Rio Grande do Sul (da qual nem lembro o nome). Um propaganda dele saiu naquela revista Fisica na Escola que vem junto com a Revista Brasileira de Ensino de Fisica. ALguem mais ouviu falar?

 
At 26/10/05 19:23, Blogger Andre said...

A primeira vez que vi o pôster tradicional foi na biblioteca da UFRGS. Era enorme, devia ter 90cm x 150cm, dominava o ambiente da sala de estudos. Impressionante. Lembro de frequentemente chegar mais perto dele e me perguntar será-que-um-dia- entenderei-tudo-isso-?. Nem o top, nem o neutrino do tau haviam sido descobertos ainda. Muito menos o Higgs. Os neutrinos não tinham massa.

Depois de uns anos reformaram a biblioteca e o quadro sumiu. Achei-o anos depois num canto, empoeirado, sem que ninguém se dispusesse a recolocá-lo no lugar. Sinal dos tempos...

Ok, chega de nostalgia.Quanto à observação do Clóvis: não conhecia este pôster caseiro, mas fui procurar e descobri que foi a professora Fernanda Ostermann, especialista em Ensino de Física da UFRGS, quem bolou. O artigo do Física na escola onde ele aparece pode ser visto nesta página. É bastante inspirado no pôster que chamei de tradicional. Contém alguns erros, mas nada que não possa ser corrigido rapidamente. Achei muito bom. Concordo com o Clóvis, poderia ser estimulada a difusão desta versão brasileira.

 

Postar um comentário

<< Home